sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Da grandeza das coisas:


O nó do ser/estar
Em mim é grande

Pois sou grande
Embora pequeno no mundo

Um buraco estreito e profundo
Um abismo sem chão
Pupila muda e em vão

Aliás, o mundo que é pequeno em mim

E além de nó
Há feixe indeterminado

Sem dia
Sem noite

Sem sabor nem contorno
Quem dirá conteúdo

Um comentário:

raquelcool1 disse...

Não é que o nó de ser/estar em mim tbém é gde!!!!!!!!aff! q coisa!